©


“Sem ofensa, mas você representa tudo o que eu mais desprezo no mundo.”
Skins.  (via romanteios)


“Só há uma coisa na vida que precisamos aprender, e ninguém ensina isso nas escolas. A capacidade de suportar.”
A Cidade do Sol. (via sutilizar-se)


“De tempos em tempos dou uma pausa no drama excessivo e viro do avesso pra me tornar essa pessoa calminha, despreocupada e de bem com a vida. Só até me cansar e correr de volta pro olho do furacão. Sou meio inconstante, pode-se dizer assim. Uma hora quero calmaria e na outra quero tempestade. Pra falar a verdade, nem sei o que eu quero. Vivo pra descobrir isso.”
Iolanda Valentim.     (via romanteios)

“Eu posso ser dura, eu posso ser forte. Mas com você, não é assim.”
Avril Lavigne. (via sutilizar-se)

“Não fique comigo se você tem medo de trovão. A minha vida é uma tempestade, e o meu coração um abismo.”
Ciceero M. (via desvalorizavel)


“Crescer é a sua obrigação, ninguém vem te ensinar.”
Scracho      (via desvalorizavel)

“Sou uma pessoa difícil de lidar, teimosa ao extremo, bruta, até fria às vezes, dona de uma personalidade muito forte, impulsiva, explosiva… mas nem por isso deixo de ter sentimentos, deixo de sofrer. Se eu prefiro sorrir, é porque creio que isso torna a convivência mais agradável, possível… Se posso contar de uma forma alegre, contarei… Um sorriso nem sempre quer dizer felicidade, muitas vezes é apenas sinal de maturidade, ou até mesmo um disfarce. Então, não pense que eu sou capaz de erguer a cabeça e continuar sem sofrer, pois ainda vai doer e muito, essas coisas sempre doem, por mais que a gente relute, teime… tem sempre algo pra nos relembrar e machucar.”
Tati Bernardi.  (via romanteios)


“Você sente medo?”
“Todo mundo tem medo de alguma coisa, é assim que sabemos o quanto nos preocupamos com as coisas, quando temos medo de perdê-las.”
O Guarda Costas.  (via desvalorizavel)

“A gente podia ter tido mais calma. Podíamos ter ido mais devagar. Deveríamos ter segurado a onda e medido as palavras. A gente tinha que ter tentado controlar a raiva para não magoar o outro. Nossos passos tinham que ter sido exatos, nossos tropeços eram pra significar nada perto daquilo que estava começando a ser algo especial e único. Erramos feio. Falamos demais e agimos de menos. Magoamos demais e amamos de menos. Gritamos demais e fomos sensíveis de menos. Lutamos demais e nos entregamos de menos. Relutamos e tivemos medo demais e nos apaixonamos de menos. Erramos feio. Tudo que não era pra ser feito fizemos em dobro. E o que era pra ser… bem, ficamos no saldo devedor, no vermelho. A gente podia ter tido uma história linda. Mágica, pura, sem cobranças, cheia de respeito, livre, saudável e deliciosa como o barulho da chuva. Era pra ter sido amor.”
Clarissa Corrêa (via alcooltecimentos)